Buscar

mastite


Rio de janeiro – Segunda feira

Mastite

Quem já amamentou provavelmente sabe do que estou falando... ela surge sem avisar, e vem trazendo febre, calafrios, dor e muita moleza no corpo! E foi assim que eu acordei no domingo...com o chamado “leite empedrado” no seio direito, na verdade, com um ducto mamário entupido. Como o leite não consegue passar, ele se acumula e causa inflamação e inchaço no local.

E lá se foi minha idéia de treino longo... acabei correndo 8km até minha seção de votação e me arrastei de volta pra casa, onde passei o resto do dia dormindo... e lendo !

Achei super bacana uma matéria do Dr. Drauzio Varella, que quando perguntado se pensava em parar de correr, ele respondeu:

“Não. Mas sei que uma hora vai ser impossível continuar. Acho que, enquanto eu tiver força, condições, disciplina e saúde, vou correr porque virou uma coisa muito importante para mim. Não só por saber que cheguei a essa idade sem tomar um remédio, com a saúde ótima, mas também do ponto de vista psicológico. Sou muito agitado e ansioso, quero fazer tudo logo e, quando fico uns dias sem treinar, pioro. A corrida é um antidepressivo poderoso. O corpo libera substâncias químicas que agem no sistema nervoso central e, além do prazer, provocam aquele relaxamento típico do exercício. Você toma um banho e sai com a sensação de que é capaz de resolver qualquer problema. Dá uma autoconfiança muito grande. No dia em que eu não puder fazer isso, vou sentir muita falta.”

Uma das coisas que mais curto da corrida é essa sensação de relaxamento :)

Faltam 12 dias para a Ultra de Pedra Azul, e hoje já me sinto melhor.

O bom da mastite é que passa rápido !!

#RosaliaCamargo

© 2017 VAI CORRENDO. Orgulhosamente desbravando as trilhas