© 2017 VAI CORRENDO. Orgulhosamente desbravando as trilhas

o Xterra Estrada Real

September 26, 2016

Rio de Janeiro - 2º feira

 

Já acabou...

Impressionante como passa rápido... já estou de volta ao trabalho e Tiradentes é apenas uma lembrança. Eu abro o programa de texto e começo a escrever, pra não deixar se perder as boas memórias desse final de semana tão gostoso. Sim... foi mais um XTERRA, minha terceira vitória nesta etapa chamada Estrada Real, e essa repetição não diminui minha alegria, nem minha emoção ao cruzar a linha de chegada, porque cada uma delas teve uma história especial, e dessa vez, na minha opinião... foi a melhor de todas, porque cruzei a linha de chegada com minha filha no colo! Mas pra quem lê talvez isso não seja tão importante, então aqui vai meu relato dessa aventura, para que minha experiência possa ajudar, ou apenas inspirar, outros atletas.

 

O dia prometia ser quente, por isso já tirei da mochila o buff e o manguito, que sempre me acompanham nas largadas, e nos primeiros quilômetros das competições. E foi de viseira e camiseta “better than naked” que larguei atenta... olhava o piso irregular e ao mesmo tempo procurava meu marido e minha filha que estavam vendo a largada. Não vi eles... mas vi muita gente animada que ao me ver passar gritava:

 

- Vai Rosalia !!

 

Eu sorria, e com o coração acelerado tentava seguir o pace de uma atleta logo na minha frente. Eu pensava... estamos correndo forte... mas decidi ver até onde ela aguentava aquele ritmo. Não durou muito, e para minha alegria a primeira subida foi tranquila porque eu já estava sozinha e administrando meu próprio pace. Comendo e bebendo, comendo e me molhando. E assim os quilômetros foram passando... para minha surpresa com muitos postos de água, água gelada!!!

 

O sol foi ficando forte... e eu comecei a sentir os efeitos do calor. Sorte que não era a única... conforme eu corria ia passando outros atletas caminhando em ritmo lento. Quente!!! Caimbra... eram as palavras que eu ouvia com maior frequencia. Minha alegria era quando avistava um posto de abastecimento e recebia a notícia:

 

- Primeira mulher!!

 

Com calma eu enchia as garrafinhas com água e me molhava por completo, sempre pensando em me cuidar... eu precisa refrescar meu corpo, pra não “quebrar”. Come, come... mesmo sem fome eu me forçava a engolir um gel.

 

A sensação de liderar uma prova é incrível... o olhar e a energia das pessoas é contagiante e conforme passava pelas pequenas cidades eu recebia tanta alegria que era impossível não acelerar e sorrir, mesmo sofrendo com o calor e com as dores que começavam a aparecer.

 

Uma das coisas que me impressiona no circuito Xterra, é como eles conseguem ter cuidado com alguns detalhes tão simples e ao mesmo tempo especiais, administrando um evento tão grande. Uma moto acompanha a líder pelos últimos três quilômetros até a chegada... e ao meu lado o motociclista seguia

 

- Vou fazer barulho!! ele disse

 

Eu sorri feliz... curtindo cada metro !! Cheia de lembranças eu desci a ladeira de pedra, vendo a multidão lá embaixo. Eu tinha conseguido. Vencia meu 13 XTERRA, mas esse ia ser o mais especial, porque quando fiz a curva para entrar na reta da chegada eu vi o André com a Maria. Peguei ela no colo e correndo bem devagar eu contava pra ela

 

- Mamãe ganhou a corrida

 

Ela me apertava e apontava para as pessoas, e foi com um sorriso que cruzamos a linha de chegada. Eu não tinha mão sobrando pra levantar a faixa, e foi desajeitada que fiz pose para as fotos. Maria sem perder tempo já queria mamar, enquanto eu era encaminhada para o procedimento de verificação de equipamento ela tirava meu top a procura de leite

 

- Maria, não pode mamar agora!!

Pronto... já estava de volta a confusão do dia a dia!!

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Meu relato das 100MI Patagônia Run 2018

April 11, 2018

1/1
Please reload

Posts Recentes

September 11, 2017